Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita Teixeira da Silva

Dom | 24.01.21

A perspetiva do psicopata em A Rapariga que Sobreviveu, de Leslie Wolfe

Rita Teixeira da Silva
Disse que estava cansada de policiais, não disse? Pois bem, é verdade! No entanto, se a minha mãe recomenda, vou ter de ler! A minha mãe falou-me muito neste livro e aliciou-me bastante a lê-lo, prometendo que era um policial que se destacava daqueles a que estamos habituadas. O livro divide-se em três principais cenários: a vida de Laura, que é a tal rapariga que sobreviveu; a investigação encabeçada por Tess Winnett (que propõe a reabertura de um caso que apresenta muitas (...)
Dom | 01.11.20

Isto (não) é sobre ficção

Rita Teixeira da Silva
Houve momentos em que sentiste que estavas errado. Não errado num teste, numa resposta, numa prova. Errado, profundamente errado na vida. Os clichés, são-no porque, em princípio, têm um fundo de verdade. Com uns concordamos, com outros não, mas a ideia de que os momentos menos felizes nos fazem crescer e nos mostram quem temos (quem temos verdadeiramente) é uma realidade. Sentiste isso, não foi? Por mais que aceites os outros, sabes quem tens. E são tão poucos, não é? A maior (...)
Dom | 11.10.20

Fomos respirar ao Gerês

Rita Teixeira da Silva
Podia fazer um artigo só com fotografias, dava uma obra de arte. Não que o meu talento para tirar fotos seja fora do comum, mas porque até uma foto desfocada, a fazer o pino, com a lente suja, fica maravilhosa. O Gerês é muito fotogénico. Fui recarregar energias. Fomos. Da pronúncia à palavra quente, do nevoeiro ao verde frondoso, das águas azul-acinzentadas à comida de conforto a fumegar, dos sons aos aromas. Foi tudo especial. Ficámos apenas 2 noites no Gerês, para (...)
Sex | 21.08.20

Sobre o isolamento em 2020

Rita Teixeira da Silva
Admito que, ao contrário do que me parece ser o sentimento geral, não compreendo o desespero de quem está dentro de casa - a nova trincheira. Posição mais segura nesta guerra não poderia haver.  Ainda assim, insistimos em gritar a nossa insatisfação por estarmos em quarentena. Se já se tem vindo a notar que não damos valor ao que temos (é natural na generalidade dos seres humanos), esta é a prova dos nove. Estamos onde sempre pedimos para estar, em casa. Esta é também a (...)